Seguidores

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Diálogo entre textos

Você sabe o que é intertextualidade? Sim? Não? É a relação estabelecida entre uma produção verbal (ou não- verbal) e outra. É o diálogo entre textos ou imagens.
____________________

Um autor pode criar seu texto a partir de outro já existente ou apenas lançar mão de citações, partes, algumas ideias desse texto alheio. Pode-se construir outros significados nesta relação explícita de um texto com outro.

___________________
Os temas são universais, mas a maneira de abordá-los pode ser diferente, de acordo com a intenção, gênero, época ou indivíduo. Há muitas formas de se comunicar e expressar. Assim a intertextualidade pode aparecer com diferentes objetivos como humor, crítica, reflexão, releitura, literatura, música, cinema publicidade etc. Veja alguns exemplos abaixo:
A publicidade fez um diálogo com a obra "A Mona Lisa" de Leonardo da Vince. Observem as duas imagens e as suas semelhanças. Nesse comercial da Bombril o leitor lembraria dessa obra. Percebam que embora o quadro seja de outra época, se encaixou perfeitamente no gênero anúncio da nossa atualidade, porque a intenção é diferente. Nesse caso, a Mona Lisa tenta persuadir o consumidor a comprar ou aceitar o produto.
Nas HQs de Maurício de sousa, Mônica e Magali estão vestidas como na obra "Rosa e Azul" de Auguste Renoir (ao lado), mais um exemplo de intertextualidade entre imagens não-verbais. O leitor precisa ter conhecimento prévio para identificar esse diálogo.
..............1..............................2...............
...............3.................................4...........
Na foto (1) temos a obra a "Pietá" de Michelangelo. Atente para as demais imagens que sucederam outros significados a partir do original. Como a foto (2) no cinema com Michelle Pfeiffer, a foto (3) da caveira que expressa a obra Pietá, mas leva o leitor a uma reflexão acerca da morte, fome, miséria. A foto (4), capa da revista Periférica também é um diálogo com o retrato de Pietá. E muitas outras que você pode identificar por aí.

Outro exemplo de intertextos presentes é no filme "Shrek" destinado ao público infantil. Basta assistí-lo agora com mais atenção e encontraremos a literatura dos contos de fadas: A bela adormecida, O gato de botas, Os três porquinhos, Pinóquio, personagens já consagrados pelo público infantil que retomam a narrativa sob forma de paródia, além disso, há diversas citações de cenas de filmes destinados a adultos, por exemplo, a princesa Fiona expressa uma luta da cena do filme Matrix. _______________

O importante é que você compreenda que os textos não são puros, mas resultado de outros textos, pois a palavra é diálogica. Bakhtin comenta que "produzimos nossos pensamentos a partir das ideias do outro. A construção do conhecimento é de cunho social".

Então, quando escrevemos ou falamos algo, geralmente, já foi dito em outros textos. Assim um texto sempre procede de outros textos escritos ou orais. Uma das vantagens da intertextualidade é que esta consegue manter os textos vivos quando eles estão em contínua relação uns com os outros.

________________

Portanto , leia bastante para poder identificá-los do bilhete a teses científicas. Tudo que você gosta e não gosta. E sempre respeitando o outro, porque este conhece coisas que você não sabe ou vice-versa. Mas pode aprender se for menos arrogante. Abraços! Sheila Fonseca.

Fontes de pesquisa:

http://www.filologia.org.br/viiicnlf/anais/caderno09-02.html
SARMENTO, Leila. Oficina de redação. Moderna, 2ºed., São Paulo, 2003.

7 comentários:

Príncipe Encantado disse...

Gostei de sua indicação, e com seu post aprendi mais, e me fez lembrar do saudoso Chacrinha que dizia " Na televisão nada se cria tudo se copia"
Abraços forte

Débora Francis disse...

Excelente seu artigo amiga. Nunca tinha parado para pensar sobre este prisma. é realmente verdade em tudo... E ás vezes o que foi criado em cima da idéia de outro faz muito mais sucesso!
Vou tentar ser mais perceptiva em relação a isso.
Beijos com carinho e parabéns.

LISON disse...

Saudações!
AMIGA SHEILA,
Gostei muito de sua explanação, confesso que não conhecia a materia, e penso que ainda não fiz uso desse recurso. A leitura de seu texto me proporcionou um verdadeiro aprendizado.
Parabéns pelo excente texto!
ABRAÇOS!LSON.

Altemar Rocha disse...

Muito interessante a "intertextualidade". É uma verdadeira comunicação navegando entre textos, que quando não temos esse conhecimento, não o utilizamos na sua melhor forma.
Aprendi com o seu post e agora vou tentar usar essa verdadeira ferramenta.
Obrigado e abraços.
Paz sempre.

Lara disse...

é bom aprender com a leve intenção
de passar o tempo na internet por isso adorei isso aprendi mais sobre intextextualidade!!!!!!!!!!!

Joselito disse...

Well, mais ou menos o seguinte, o plágio não existe, são apenas pequenas coincidências.

GEOLETRAS disse...

Joselito,

O plágio seria a cópia completa sem nenhuma modificação. Geralmente, alguém apresenta a obra de outrem como se fosse de sua própria autoria.

No caso da intertextualidade é um diálogo entre as obras, se aproveita trechos para se elaborar outras obras.

A Mona Lisa, por exemplo, se deu por paródia a publicidade se utilizou do humor fazendo uma REleitura da obra original de Leonardo da Vince. A intenção era outra a de persuadir o consumidor a comprar o produto.

Abraços! Sheila.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin